O que achamos de God of War Ascension

Esse é com certeza o melhor título da franquia!

God of War Ascension: o Contexto

Os deuses do Olimpo da Sony nos agraciaram com uma cópia do título God of War Ascension, lançado recentemente com exclusividade para o Playstation 3. Como um grande fã da franquia, não tinha como deixar de escrever minhas impressões dessa aventura vivida pelo herói Kratos, um personagem no mínimo distinto se comparado com qualquer outro herói.

Imagine ser enganado pelos deuses, assassinar sua própria família e viver uma vida fadada ao sofrimento, noites de sono atormentadas por pesadelos terríveis por toda a eternidade e muitas, mas muitas batalhas. Esse é só um resumo da estória do guerreiro espartano que mostrou ao mundo que é possível sim derrotar um deus (pelo menos os do Olimpo!).

god of war ascension aprisionado

Kratos aprisionado pelas Fúrias

Para ajudar a entender o contexto de God of War Ascension, é importante relembrar que Kratos, um poderoso capitão dos exércitos espartanos, faz um pacto com Ares, o deus da guerra, para vencer uma grande batalha com os bárbaros. Com esse juramento, Kratos adquire as Lâminas do Caos e poderes suficientes para dizimar todo o exército. Após isso, e sendo muito breve, Kratos descobre que foi enganado e amaldiçoa Ares. É nesse momento que God of Ascension entra, com o guerreiro espartano tendo que fugir das Fúrias, que são criaturas poderosas que tomaram para si a responsabilidade de aprisionar e torturar todo aquele que quebra um pacto de sangue com um deus.

Controles e Jogabilidade

Falando do jogo propriamente dito, ele segue a mesma “receita de bolo” dos anteriores, o que vai agradar os fãs que acompanham a série desde o seu início e àqueles que estão iniciando na franquia God of War com este título.  Os comandos são fáceis de serem aprendidos, permitindo que o jogador consiga executar sequencias de golpes e combos de maneira simples. Golpes mais fortes, magias e outras habilidades podem ser conquistadas trocando os pontos de sangue obtidos durante as batalhas.

Kratos também recebeu alguns movimentos novos, como deslizar no gelo e pular de uma plataforma para outra (este com animações melhor desenvolvidas). Os saltos duplos continuam e há sequencias no estilo plataforma mais longas, e em alturas ainda maiores, para dar aquela carga de adrenalina!

Um diferencial importante dessa versão é a entrada de uma barra de fúria, que é preenchida à medida que Kratos derrota uma sequência de inimigos sem levar nenhum golpe. Quanto a barra fica 100% cheia, os golpes do personagem ficam naturalmente mais fortes e causam um impacto diferente nos inimigos. Se o jogador optar por utilizar os poderes de Hades, por exemplo, os golpes de Kratos invocam automaticamente espíritos aprisionados que surgem e causam mais danos aos inimigos.

god of war Ascension laminas caos

Ataque de Kratos com as Lâminas do Caos

Outro ponto positivo é a inclusão de armas como martelos de guerra, espadas, fundas e lanças que aparecem no cenário e que podem aumentar o poder destrutivo do personagem. Elas possuem ataques finitos, mas são muito úteis para determinadas situações.

E para os fãs de cenas fortes, as boas e velhas sequencias de golpes que levam a um tipo de “fatality” foram mantidas e eu diria que até simplificadas. Agora, a imagem dos botões que precisam ser pressionados aparece na tela na mesma posição em que se encontram no controle e de forma mais destacada.

Gráficos e Trilha Sonora

A qualidade gráfica do personagem, dos inimigos, das animações e dos cenários é impressionante e com certeza mostram uma evolução em relação ao jogo anterior (que já era excelente!). Isso é fácil de ser notado quando Kratos leva banhos e banhos de sangue depois de aniquilar uma quantidade grande de inimigos, ou na animação dos “fatalities”. A riqueza dos cenários segue o enredo do jogo e contribui muito na imersão do jogador no mundo da mitologia. Tanto que no God of War Ascension Kratos passa por lugares que existem na vida “real”, como a vila de Kirra, a cidade de Delfos e a ilha de Delos. Mesmo os cenários “virtuais”, como a prisão construída sobre o Hecatonchires (sim, esse é o nome do personagem), são impressionantes!

Um item que continua chamando a atenção é a perspectiva, que é um dos pontos fortes da Santa Monica, desenvolvedora da franquia. Em God of War Ascension, Kratos enfrenta diversos inimigos, entre deuses, semideuses e outras criaturas, muito maiores do que ele, com detalhes gráficos precisos. Alguns deles parecem ser até impossíveis de serem derrotados devido a diferença de tamanho e força em relação ao herói. No entanto, e felizmente, nada que uma boa série de golpes, muita magia, esquivas rápidas e muita atenção não resolvam!

god of war ascension sangue

Kratos depois de um massacre!

A trilha sonora segue o mesmo modelo dos títulos anteriores e tem um papel principal nos embates épicos e na movimentação do personagem. As músicas mantiveram o estilo clássico e os tons gregorianos são utilizando perfeitamente quando o jogo quer chamar a sua atenção para um evento importante.

As vozes já conhecidas do próprio Kratos e a narração de Gaia, por exemplo, foram mantidas. Vale destacar também que a Sony do Brasil teve um papel importante em garantir que fosse incluída a opção do idioma português, tanto para os diálogos quanto para as legendas. Isso pode soar um pouco estranho no início porque esse é o primeiro título em português da franquia, mas os dubladores convidados são conhecidos e fizeram um excelente trabalho!

Modo Multiplayer

Essa, dentre todas as novidades, é a que mais se destaca, uma vez que essa opção de jogo não havia sido explorada em nenhum dos títulos, nem de maneira superficial. Há três modos de jogo, que incluem:

  1. Jogadores se enfrentando na arena de Hércules (é o mesmo cenário onde Kratos luta contra o semideus em God of War 3), e vence aquele que fizer mais pontos derrotando os outros adversários. As mesmas armas encontradas durante o modo Campanha aparecem no cenário, além de baús de sangue e de magia. O próprio Hércules também interage com o cenário, atacando os jogadores na arena com um golpe capaz de lançá-los para fora do cenário.
  2. A segunda opção é jogar em um cenário mais amplo e com até oito jogadores se enfrentando em um tipo de conquista de territórios, onde ganha aquele que dominar os territórios espalhados. Armas e baús também estão disponíveis, além de armadilhas que podem ser acionadas para ajudar a manter os inimigos longe. O titã Cronos está presente no cenário e ele assume um papel semelhante ao de Hércules, ou seja, atrapalhar!
  3. O terceiro modo é um tipo de “rouba-bandeira” e possui características semelhantes aos anteriores.

Felizmente, há uma estratégia incorporada ao Multiplayer que permite que cada jogador evolua seu personagem, escolhendo o seu deus, suas armaduras, armas e magias. Isso com certeza vai estender em muito a vida útil do jogo e vai garantir muitas horas de diversão!

Trailer do modo Multiplayer:

Conclusão

Essa é, com certeza, a melhor versão já lançada dentre os títulos da franquia. God of War Ascension trouxe o melhor de seus antecessores e quase nenhum ponto negativo. É claro que o jogo não vai agradar a todos e aqueles que conhecem a série podem achar o título pouco inovador, principalmente quanto à jogabilidade. No entanto, os elementos que mencionei aqui trazem novidades suficientes para fazer de God of War Ascension um título imperdível. Mesmo para aqueles que não se importam com as novidades e só querem saber de terminar o jogo, as variações dos cenários, o enredo e as surpresas da própria trama são suficientes para manter a atenção. Os modos multiplayer vão sim aumentar a vida útil do jogo consideravelmente e as diversas combinações de possibilidades de se evoluir o seu personagem podem garantir horas e horas de jogo. Os fãs de mitologia grega também irão adorar o título, uma vez que novos personagens foram inseridos e terão um impacto direto em toda a trama.

Por isso, God of War Ascension leva fácil a nossa nota máxima de cinco mochilas e é recomendado para todos os donos de um PS3!

Deixe uma Resposta

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

© 2017 Mochileiro Digital.

Compartilhe: