E3 2013: Nossas impressões de Daylight

O game estará disponível a partir do primeiro trimestre de 2014.

Tivemos a oportunidade de testar o título Daylight, um dos novos títulos trazidos pela Zombie Studios. Imagine acordar em um hospital, sozinha, com acesso a apenas um telefone celular? E para piorar, não há sinal disponível e a única “ferramenta” é a bússola magnética disponível no aparelho? Esse é o contexto de Daylight.

Daylight - hands-on

Daylight – hands-on

A versão que testamos rodou em um notebook Alienware e utilizamos o teclado e o mouse combinados para explorar o ambiente do jogo. Os gráficos estavam configurados com qualidade média e alta, e foi possível identificar um nível de detalhe nos elementos dos cenários. A ambientação é bem sombria, lembrando um pouco o primeiro episódio de The Walking Dead, mas mais escuro e sombrio. O som contribui muito com a experiência, uma vez que as músicas contribuem significativamente com o cenário e as ações da personagem. Outro item interessante é que, diferente de outros títulos do gênero, o personagem principal é uma mulher, e os desenvolvedores foram muito felizes em adicionar reações associadas a esse cenário mais sombrio. Ela se assusta com barulhos e reage a qualquer tipo de movimento não esperado!

Os controles são simples e respondem bem. O demo não oferece muitas opções de comandos, mas para abrir ou fechar portas, por exemplo, é necessário clicar com o botão esquerdo do Mouse e movimentar para frente ou para trás. A movimentação da personagem é feita com as tradicionais teclas W, A, S e D.

Um fator importante do Daylight é que a história não é a mesma para todos os jogadores. O sistema do Daylight cria uma nova narrativa a cada início, e constrói a história de acordo com os elementos, ações e decisões tomadas pelos usuários. Isso foi possível de ser percebido, porque durante o nosso teste, nos deparamos com um fantasma em um momento diferente do que o da pessoa que estava jogando ao lado (ambos estávamos no mesmo ambiente).

Daylight tem tudo para agradar os fãs do gênero. Ele foi desenvolvido por um grupo pequeno, mas que trabalhou em jogos como F.E.A.R, F.E.A.R. 2: Project Origin, Condemned: Criminal Origins, Condemned 2: Bloodshot, Saw: The Video Game, Saw 2: Flesh & Blood, Blacklight: Tango Down e Blacklight: Retribution.

Em nossa entrevista com um dos representantes da Zombie Studios, fomos informados que Daylight precisará de um hardware com, no mínimo, 6 GB de RAM e um processador no nível de um Core i7.

O jogo estará disponível para o PC e PS4, com previsão de lançamento para o terceiro trimestre de 2014.

Confira abaixo o trailer disponibilizado na E3:

Deixe uma Resposta

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

© 2017 Mochileiro Digital.

Compartilhe: