O Que Achamos? – The Walking Dead 3×01: “Seed”

Série retorna sem tempo para diálogos e aposta na ação do início ao fim do episódio.

elenco walking dead

Walking Dead – Começa a terceira temporada

Aos olhos de um zumbi, começamos o tão aguardado primeiro episódio da terceira temporada do seriado The Walking Dead. A série tão aclamada  pelo público nos apresenta  a sua premiére mais agitada até hoje e aposta em uma movimentação incomum com seus personagens, poupando os diálogos e investindo na ação, introduzindo assim a nova história de forma envolvente e interessante.

Começamos o episódio com um salto temporal e já nos deparamos com Rick liderando um grupo mais preparado e treinado. Não há mais o luto por Sophia e nem o peso da temporada anterior, afinal não há tempo para pensar e sim para fugir dos cerco dos zumbis que se torna cada vez mais intenso. Nos deparamos com uma Lori a ponto de ter seu bebê e um Ricky pressionado por ter que liderar o grupo e ainda ser pai de família. É visível a carga emocional de Ricky desde a temporada passada e isso fica evidente neste episódio.

Outro ponto importante é a introdução da nova história, pontuando aos poucos a prisão que será um ambiente presente durante toda a terceira temporada. A prisão é sinistra, claustrofóbica e dá medo pelos poucos minutos que se mostrou no episódio.

walking dead

Grupo tenta entrar na prisão

Zumbis cada vez mais estilosos e bem produzidos, e nota-se o capricho da produção para que os mortos-vivos sejam um destaque. Um dos pontos altos é a presença dos zumbis policiais – zumbis com direito a coletes a prova de balas e toda indumentária policial possível. E a pergunta que surge é a seguinte: como matar um zumbi com roupa e capacetes blindados? A resposta vem de forma boba, porém se transforma numa das cenas mais divertidas deste primeiro episódio.

Trocamos os infinitos diálogos por expressões faciais pesadas e que resumem tudo em apenas uma cena. Bastava olhar para Lori, Ricky, Glenn, Daryl, Carol, Hershel para sentir o peso e o cansaço em suas feições sem a necessidade de diálogos e discussões que poderiam tomar um bom tempo do episódio. A cena da fogueira é um ótimo exemplo de tudo isso. Todas as discussões se resumiram em faces desanimadas e a canção “Parting the Glass” cantada por Beth Greene.

O que fez falta foi uma maior introdução a Michonne, a personagem mascarada que encerrou a segunda temporada com um ar de mistério e é sucesso absoluto entre os fãs da HQ teve pouco tempo de tela e por isso nenhum detalhe de sua história foi revelada, há não ser seu rosto e um pouco mais de suas habilidades com a espada.

Seeds foi marcado por profundas evoluções de alguns personagens e do grupo liderado por Rick, falta de outros e praticamente nenhuma ideia do que vai ocorrer no futuro da série. E no fim só nos restou a afirmativa: O Governador vem aí!

Deixe uma Resposta

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

© 2017 Mochileiro Digital.

Compartilhe: