Confira o que rolou na Super Power Con

O mercado de quadrinhos ganhou mais alguns pontos depois da SP Con, evento que contou com a presença de artistas brasileiros renomados que estão trabalhando no mercado americano, e a visita também ilustre dos editores da Panini.

No último final de semana aconteceu em São Paulo a primeira edição da Super Power Con. Foi um super evento voltado ao universo dos quadrinhos que contou com participações muito especiais, entre elas: Os editores da Panini (tanto pelo lado da DC Comics quanto da Marvel) e vários artistas brasileiros consagrados no mercado americano.

Marvel Day na Super Power Con

Apresentação dos editores Marvel

No primeiro dia de evento (sábado), tivemos toda a programação voltada para os marvelmaníacos. Seguindo a tradição do antigo Marvel Day (evento realizado pelos mesmos organizadores da Super Power Con), pudemos assistir a apresentação dos editores Fernando Lopes, Paulo França e Rogerio Saladino. Eles trataram das novidades da Marvel para este ano, e como já era de se esperar, o destaque ficou com a chegada da aclamada saga A Essência do Medo.

Pelo que foi explicado, este mega evento envolverá todos os personagens da casa das idéias na luta contra um deus asgardiano, cuja principal característica é a de incutir medo nas pessoas. Pelo que pudemos ver, com certeza ação e pancadaria não irão faltar.

O restante da apresentação foi dedicada para responder as perguntas dos fãs que participaram da apresentação, mas a maioria delas foi voltada para a nova saga ou dúvidas pessoais. Depois ainda tivemos uma coletiva com eles, e como não podia deixar de “dar uma cutucada”, perguntei se estavam com ciúmes dos Novos 52 da DC Comics, e se isso poderia roubar os fãs dos títulos Marvel. De maneira bem descontraída, os três disseram que não estavam com ciúmes, e que os Novos 52 trariam novos leitores, mas que dificilmente “roubariam” os fãs da Marvel. Quando perguntados sobre um possível reboot da Marvel, Lopes disse que a Marvel já fez isso outras vezes e não trouxe o resultado esperado, e por isso ela deve aguardar um pouco mais para tomar qualquer iniciativa dessa magnitude.

Papo com os Artistas da Marvel

Entre os artistas convidados para este día estavam: Ibraim Roberson, Renato Guedes e Will Conrad. Os três bateram um papo super descontraído com a galera e falaram dos projetos que estão executando lá fora.

Perguntamos para o Ibraim se ele já teve problemas com arte-finalistas ou coloristas, depois de terminar sua arte para alguma estória. Ele disse que teve problemas com praticamente todos, porque ninguém gosta de ter alguém mexendo naquilo que é seu. Porém, coloristas como Frank Martin Junior são seus favoritos. Ele até comentou de uma situação onde, por causa de prazo, ele teve um de seus trabalhos com o fundo do desenho substituído por uma foto. Comentou também que leva mais de um dia para produzir uma página e que trabalhar com prazos é a maior dificuldade da indústria hoje.  Alguns de seus principais trabalhos foram Liga da Justiça, Ponto de Ignição, A Noite Mais Densa, X-men e Necrosha.

O papo com Renato Guedes foi um pouco mais solto, até pelos mais de dez anos que ele tem na indústria. Falando de sua história, ele disse que iniciou muito cedo como artista de quadrinhos, e que por isso nunca conseguiu ingressar em uma universidade; prestou Fuvest em Geografia uma vez, mas não passou, o que agradeceu imensamente! A carreira iniciou cedo, ainda na adolescência, onde começaram os primeiros esboços e o estudo de como trabalhar com esse tipo de arte. O ponto de virada que o consagrou e tornou seu nome mais conhecido no mercado, aconteceu quando foi nomeado para ser o desenhista do Superman, permanecendo no título por seis anos.

A dificuldade maior, também mencionada por ele, é a questão dos prazos impostos pelas editoras, e que ambas, Marvel e DC, tem maneiras bem diferentes de se trabalhar e relacionar. Por fim, comentamos sobre a situação do mercado de quadrinhos nacional, e ele disse que ainda há espaço para crescimento, desde que as pessoas comprem mais. Ah, fora da entrevista ele comentou que está trabalhando em alguns projetos pessoais: um junto com um escrito francês que será publicado na Europa, e outro com um amigo e que deve ser publicado na Argentina.

O último a conceder entrevistas foi Will Conrad, que como todo “mineirinho”, adora uma boa conversa. Ele começou na indústria com muito esforço e sacrífico: estudando Administração à noite e trabalhando em uma seguradora de dia, só sobravam as madrugadas para criar seus esboços e amostras. “Nessa época, artistas de quadrinhos eram taxados de drogados e vagabundos”, comentou. Porém, certo dia, ele ouviu que uma agência estava enviando trabalhos de artistas para o Estados Unidos, e não perdeu tempo, enviou seus esboços, e logo caiu no gosto dos americanos. Atualmente, está desenhando a edição 29 dos X-men e um dos títulos dos Vingadores.

Só como curiosidade, perguntamos para os três o que eles leem de quadrinhos: Ibraim disse lê quadrinhos mais atuais, da DC inclusive. Já Renato disse que lê muito material europeu e quase nenhum americano (seu estilo é muito puxado pro europeu por causa disso). E Will comentou que lê aquilo que agrega para seu trabalho, como títulos dos artistas Coipel e irmãos Kubert.

DC Comics Day na Super Power Con

Apresentação dos editores DC

Na minha opinião, o melhor dia foi esse (mas sou suspeito pra falar, já que me tornei um mega fã do Lanterna Verde, e já fiz minha assinatura dos Novos 52)! Como já conhecemos o Levi Trindade de outros podcasts (podem conferir o primeiro e o segundo aqui), foi bacana poder ver a interação dele com o público diante das perguntas mais complicadas envolvendo principalmente os Novos 52. Bernardo Santana e Alexandre Callari também estavam junto e ajudaram com seus comentários. Assim como no dia anterior, “choveram” perguntas do público, mas nada que não tenhamos divulgado aqui antes.

Na coletiva, como já havíamos “bombardeado” o Levi com perguntas, deixamos que os outros repórteres aproveitassem o tempo. Mas como ainda sobrou um tempinho perguntei como seria a publicação do novo título do Jonah Hex, uma vez que ele também faz parte dos Novos 52. Levi disse que será lançado seguindo o mesmo padrão do primeiro encadernado americano, tanto na qualidade quanto o mesmo arco de estórias. Ah, ainda sobre o Jonah Hex, ele pediu para nós, os fãs, que ajudassem pedindo pra Panini que termine a publicação da série original do Jonah Hex, mesmo com o reboot. Para ajudarmos no pedido, convovamos os fãs a mandarem e-mails e comentários para a editora! Por isso, nos ajudem a termos a publicação da série original do herói mais “bandido” do Velho Oeste!

E pra fechar essa parte, peguntei como ficou a divisão entre os editores da Panini dos Novos 52: Levi fica com todos os que já trabalha hoje (Batman, Lanterna Verde e Liga), Bernardo com Superman, Callari com Esquadrão Suicida e alguns outros menores.

Papo com os Artistas da DC Comics

Esse foi realmente o ponto alto do dia. Ivan Reis (desenhista), Joe Prado (arte-finalista) e Rod Reis (colorista) roubaram a cena, e o Ed Benes nem conseguiu falar. Como os três primeiros estão trabalhando atualmente no título do Aquaman junto com o aclamado Geoff Johns, eles mostraram muita animação e compartilharam o seu dia-a-dia produzindo as estórias do herói.

E aproveitando esse tema, eu mesmo perguntei “Ivan, por que o Aquaman?”. A bagunça começou aí, porque Joe Prado disse que todo mundo pergunta isso pra eles. E não era pra menos: Aquaman não era nem para ter entrado nos Novos 52 porque não era um título considerado importante pelos próprios editores da DC Comics! Porém, Ivan esclareceu que foi perguntado por Dan Didio com qual herói ele gostaria de trabalhar, depois dos sucessos seguidos do Lanterna Verde, A Noite Mais Densa, O Dia Mais Claro e o Ponto de Ignição (ou Flashpoint nos Estados Unidos). Visando a continuidade do trabalho e o desafio de se desenvolver algo com um herói tão desacreditado, Ivan pediu para continuar no Aquaman (ele tinha trabalhado com o herói na época do Dia Mais Claro). Mesmo sendo aconselhado a escolher outro herói (e poderia ser qualquer um mesmo), ele insistiu, e hoje, junto com todo o time criativo, transformou o título num dos mais vendidos nos Estados Unidos. Esse caso foi legal porque geralmente quem seleciona o artista é o roteirista; nesse caso, quando Geoff ouviu que Ivan tinha escolhido o Aquaman, ele se convidou para escrever as estórias do Rei da Atlântida!

Joe disse que a rotina deles é bem puxada, vai de 12 a 14 horas por dia passando até por finais de semana. O quarteto vive trocando ligações telefônicas e Geoff é quem mais liga toda vez que tem uma “ideia brilhante”! Rod Reis porém disse que geralmente a “corda puxa pro lado dele”, porque como ele é o colorista do time, quando roteiro e desenhos atrasam, é ele quem fica com o trabalho de entregar tudo com prazo apertado. Foi num desses atrasos até que Joe Prado teve que improvisar alguma coisa para concluir um fundo de uma capa, e Rod acabou finalizando e criando até um novo estilo. Pra fechar, Joe e Ivan disseram que até sabem do que vai vir pela frente na DC, mas disseram que não podem contar para não levarem uma baita bronca dos editories. Uma pena!

E quando vem a próxima Super Power Con?

Gostamos muito de ter participado do evento, e gostaríamos de agradecer o pessoal do Universo Marvel 616 pela organização da SP Con, e especialmente a Panini pelo convite (valeu Olívia!). Colocamos nosso grupo a disposição para ajudar no próximo, uma vez que podemos agregar bastante, já que todos somos aficionados por Quadrinhos.

Ainda dentro da SP Con tiveram oficinas de dublagem, animação e maquiagem, e uma apresentação muito legal da artista Kátia Arantes, onde ela retratou os heróis dos quadrinhos espalhados pelas principais ruas, avenidas e pontes de São Paulo. Até ouvimos que ela quer fazer uma versão dois da apresentação, e escutamos até uma conversa entre ela e Will Conrad. Quem sabe já temos aí alguma coisa para a próxima versão da Super Power Con.

Comentem!

Galeria de Imagens

Um Comentário

  1. Coveiro

    Valeu, Pessoal! Fico bem feliz com o retorno de vocês sobre o evento. Esperamos que a coisa prospere bastante, estamos na verdade planejando desde o dia “1” pós evento… 😀

    Responder

Deixe uma Resposta

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

© 2017 Mochileiro Digital.

Compartilhe: